A freguesia de Vila Nova foi sede de concelho do mesmo nome, após a sua extinção integrado no concelho de Odemira. Recebeu foral manuelino em 20 de Agosto de 1512. O orago é Nossa Senhora da Graça. O prior era da apresentação Ordem de Santiago. Foi comenda da mesma Ordem. Conhecida como Milfontes até 1837, era então cabeça de concelho. Em 1842, o concelho de Cercal surge como cabeça de concelho. Por Decreto de 24 de Outubro de 1855, o concelho do Cercal é extinto, e as suas freguesias incorporadas nos concelhos de Odemira e de Santiago do Cacém. Integra o distrito administrativo e eclesiástico de Beja.

Igreja Nossa Senhora de Fátima (Igreja matriz)

Igreja Nossa Senhora de Fátima (Igreja paroquial)

A atual Igreja de Nossa Senhora de Fátima  (no âmbito popular, também conhecida como Igreja Nova), foi construída no ano de 2000, pela falta de espaço da antiga Igreja matriz, Igreja Nossa Senhora da Graça. O mentor da obra foi o antigo Prior Cónego Álvaro Soares, que foi o pároco que esteve mais anos a paroquiar esta paróquia, ou seja, cerca de trinta anos e daí o ser recordado por muitos paroquianos. Os anteriores párocos tiveram um período de tempo pouco significativo o que revela de certa forma um certo desconhecimento desse período, pois a grande referência do padre nesta localidade é ainda o fundador do Colégio, monsenhor Joaquim Lourenço que após ter fundado o Colégio sempre viveu nesta localidade e aqui ficou sepultado.

Igreja Nossa Senhora da Graça

Igreja Nossa Senhora da Graça

A Igreja de Nossa Senhora da Graça de Vila Nova de Milfontes data do início do séc. XVI. Pertenceu à Ordem de Santiago da Espada cuja cruz está gravada na porta principal.A igreja primitiva dataria possivelmente de finais do séc. XV época a que remonta a pia de água benta que ainda hoje permanece no seu interior. Objecto de muitas destruições e reconstruções ao longo do tempo, quer por ter sido abalada pelos sismos que ocorreram no país em 1531, quer, mais tarde, por ter sido destruída por piratas mouriscos, foi sendo alterada ao longo dos séculos. A torre sineira data já do final do séc. XIX.Actualmente a igreja mantém pouco da sua traça inicial sendo de destacar a fachada e o arco do Altar-mor pouco atingidos pela modernização da última intervenção que sofreu em 1959. A procissão fluvial que se realiza a 15 de Agosto tem saída da Matriz onde estão guardados os santos que acompanham a procissão: S. Sebastião e Nª Sr.ª da Graça.

 

Capela do Instituto de Nossa Senhora de Fátima (Colégio Nossa Senhora da Graça)

Capela do Instituto de Nossa Senhora de Fátima (Colégio Nossa Senhora da Graça)

O Instituto Nossa Senhora de Fátima e o Colégio Nossa Senhora da Graça, ergueu-se em 1942, primeiramente como colónia de férias com a finalidade de proporcionar à Juventude Católica Feminina, a estadia na praia, para o seu robustecimento físico, aperfeiçoamento espiritual e desenvolvimento social e apostólico. Mais tarde, o fundador Monsenhor Dr. Joaquim Maria Lourenço com a colaboração de fundos de D. Maria Madalena da Silva Falcão de Odemira, e D. Maria Julia de Brito Pais Falcão, de Colos e do Estado ergueu a primeira Pedra do que mais tarde se iria chamar Instituto Nossa Senhora de Fátima e Colégio Nossa Senhora da Graça.

 

 

 

 

Ermida de São Sebastião

Capela de São Sebastião

A Capela de São Sebastão, antiga ermida de construção maneirista popular que está actualmente integrada no perímetro da Vila, remonta a meados do séc. XVI. Está edificada, provavelmente, sobre uma antiga construção castrense de carácter militar.